Foi dar queixa e ficou em cana

    Escrito por
    Avalie este item
    (0 votos)

    Ao receber queixa por possível roubo de celular, polícia descobre que queixoso era procurado por crime

     

    No sábado (26), Tarcísio Vieira Pinto, compareceu à delegacia para dar queixa como vítima de furto de celular. Ao digitar dados do queixoso, agentes policiais descobriram mandado de prisão, contra ele, por crime ocorrido em 1989.

    A ordem de prisão preventiva foi expedida em março de 2008 pelo juiz da Vara de Registros Públicos e Precatórias, mas não havia sido cumprida porque o suposto autor de homicídio, Tarcísio, não foi localizado.

    A prisão de Tarcísio se deu no 9º Distrito Integrado de Polícia, no bairro São José, Zona Leste de Manaus. O crime gerador da prisão, ocorreu em setembro de 1989, no local conhecido por "Lagoa do Sapo", distrito de Matum-Paraná, Porto Velho (RO). Tarcísio teria discutido com Leandro Pinheiro, quando ambos estavam sob efeito de álcool, e, com ajuda de algumas pessoas, conduziu a vítima até um local escuro e meteu-lhe duas facadas.

    Ao ter acesso ao mandado de prisão, imediatamente o delegado plantonista do 9º DIP, Bruno Hitotuzi, deu voz de prisão a Tarcísio, que, após exames de corpo de delito, foi conduzido à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa.

    (Fonte: A Crítica)

     

    Lido 1028 vezes
    Aroldo Pinheiro

    Aroldo Pinheiro,  roraimense, comerciante, jornalista formado pela Universidade Federal de Roraima. Três livros publicados: "30 CONTOS DIVERSOS - Causos de nossa gente" (2003), "A MOSCA - Romance de vida e de morte" (2004) e "20 CONTOS INVERSOS E DOIS DEDOS DE PROSA - Causos de nossa gente".

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper

    Please publish modules in offcanvas position.