Terça, 07 Dezembro 2021 08:18

    Euclides bate na porta do céu

    Escrito por
    Avalie este item
    (0 votos)

    Ele já fez muitas coisas na vida. Jogou futebol, trabalhou como office-boy, cobrador (29 anos correndo atrás de caloteiros), escriturário, virou escritor e já pensa em ser palestrante em tempo integral.

    Aos 66 anos, Euclides Junges é agitado por natureza. Desde a infância em Selbach, pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, onde infernizou a vida de vizinhos, professores, inspetores e, principalmente, do padre Cláudio, diretor do colégio de onde foi expulso várias vezes.

    Chegou em Roraima em janeiro de 1981, a convite de seu falecido irmão, Olavo, sem sequer prever ter futuro como escritor. Antes, dedicou-se à arte da cobrança, em dobradinha com os times das empresas onde trabalhava. Ganhou campeonatos em todas, no futsal, no campo e no Society. Também acumulou inimizades ao cobrar quem devia. Ponta-direita veloz, ótimo driblador, na maioria das vezes escapava da fúria dessa turma.

    Depressão

    Já aposentado, Euclides entrou em depressão. Ele trata o período depressivo como exemplo de como alguém pode sair das portas do suicídio ao sucesso como escritor. Ele descreve o período em seu terceiro livro, Grito de Alerta, editado em 2017. Desesperado, deixa bilhete de despedida, passa a corda pelo pescoço, sobe na cadeira, ora a Deus pedindo perdão pelo gesto e, no limiar de saltar no espaço vazio e morrer, suas pernas travam. Ele não consegue derrubar a cadeira. Entendeu a dificuldade como aviso Divino. Desistiu. À noite, sonhou com um anjo. Este o aconselhou: “Escreva um livro”.

    Naquele momento, Euclides trocou a depressão pelos textos. Decidiu contar sua história. Teve sucesso com o livro Aventuras de Um Desconhecido (2014), lançado em Selbach e em Boa Vista. A partir daí, publicou livros quase todo ano, sobre assuntos diversos.

    Também passou a fazer palestras em escolas e entidades de prevenção ao suicídio. Transformou-se em arauto da recuperação psicológica. Mostra como é possível virar o jogo, mesmo nos piores momentos.
    Entrada do Céu será lançado no dia 10 de dezembro, às 20h, no Centro de Tradições Gaúchas Nova Querência (avenida Brigadeiro Eduardo Gomes). Ele havia decidido parar de escrever. Ao comentar a decisão com o amigo Nicholas, este dá a ideia de ele escrever outro livro, mas de ficção, com viés espiritual. Assim foi feito. Na obra, ele se vê dividido entre a Terra e o Céu. O livro também é fruto de sonho do autor. Ele se vê dividido entre a Terra e o Céu. O Euclides celeste encontra-se com diversas pessoas importantes em sua vida, todas já falecidas. Os momentos de ajuste de divergências emocionam o leitor. Tem até jogo de futebol com uma turma de primeira, tanto de Selbach quanto de Boa Vista. O resultado? Spoiler, nem pensar... Figura redundante na vida de Euclides, o padre Cláudio (sempre ele) é protagonista na trama.

    Longe de ser obra religiosa, Entrada do Céu busca resgatar valores, abordar o tema da morte com respeito e humor, além de permitir a Euclides catarse necessária depois de tantas mudanças.

    Os próximos desafios já estão definidos: escrever livro sobre a importância da leitura na formação da juventude e transformar a missão de palestrante em profissão. Quem já jogou contra ele conhece o final: gol de placa.

    A cabeça não pode parar

    “Escrever tem sido fundamental para manter a minha sanidade mental”, garante Euclides. Há anos ele tem tido lapsos de memória. Já conhece o problema. “A minha mãe morreu com o Mal de Alzheimer”, lembra. “Perdeu completamente a memória. Foi difícil para todos nós”.
    Os primeiros sintomas ligaram o sinal de alerta. “Quanto mais pesquiso para os livros, mais faço a minha mente trabalhar”, acredita. “Com isso, retardo a progressão da doença. Jamais vou me entregar. Lutarei por me manter são até o fim”, garante o autor.

    Obras de João Euclides

    2014 - Aventuras de Um Desconhecido - O livro narra as inconsequentes travessuras de um menino de interior que um dia saiu de um lugar de onde não pretendia ter saído.
    2015 - Caminhando Sobre os Sonhos – a obra junta fragmentos relevantes de histórias que foram colhidas através de vivências diversas.
    2017 - Grito de Alerta – 2017 - viagem pelo cenário da depressão.
    2019 - A Arte de Vender Livros e Suas Histórias - narra a batalha diária de um escritor, vendedor dos próprios livros, que vai ao encontro de seu futuro leitor.
    2020 - A Menina e o Poeta – retrata a relação transformadora entre a beleza da juventude e a experiência de um homem bem mais velho.
    2021 - Entrada do Céu - baseado em sonho do autor, ao imaginar-se dividido entre a Terra e o Céu.

     

    NOITE DE AUTÓGRAFOS - Euclides Junges dedica uma de suas obras para o jornalista Fernando Quintella 

     

    Lido 408 vezes
    Fernando Quintella

    Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
    © 2022 Criado e mantido por www.departamentodemarketing;com.br

    Please publish modules in offcanvas position.