×

Aviso

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 853

Imprimir esta página
Segunda, 03 Dezembro 2018 13:21

Incidência de câncer infanto-juvenil aumenta em Roraima

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)
 ERIK, que teve câncer detectado ainda no início, participa com a mãe, Fernanda Carvalho, de campanha contra a doença ERIK, que teve câncer detectado ainda no início, participa com a mãe, Fernanda Carvalho, de campanha contra a doença Fotos: arquivo pessoal

Números podem parecer insignificantes, mas preocupam

Pode parecer pouco, mas é muito. A estatística de cerca de 80 casos anuais da doença no Estado assusta, principalmente quando a vítima pode ser alguém da sua família. O número é exagerado comparado à população roraimense. O principal vilão dessa história é a falta de conhecimento que as pessoas têm para identificar sintomas quando a moléstia está no estágio inicial. Depois de o tumor crescer e se espalhar, fica quase impossível derrotá-lo.

O pediatra Altamiro Vilhena, um dos coordenadores do Setor de Emergência do Hospital Infantil Santo Antônio, recebe, diariamente, casos de suspeita de câncer infanto-juvenil. “O número de pacientes com diagnóstico positivo aumentou. Casos importados da Venezuela ajudaram a ampliar a estatística”, explica o médico. “As famílias precisam estar atentas aos sintomas da doença. Em caso da mais leve suspeita, leve a criança ou adolescente ao hospital”, aconselha.

MÉDICO Altamiro Vilhena avaliando jovem paciente

Por causa da ausência de estrutura, o interior sofre mais. Muitos pacientes já chegam à capital com o quadro agravado. “Temos capacidade de identificar a doença e enviar o paciente a Barretos, centro onde tudo funciona com mais rapidez, em até uma semana”, diz o médico. “Se estiver em estágio inicial, a probabilidade de recuperação é muito alta”, finaliza.

 

Ele escapou da morte

Erik tinha apenas dez anos quando a mãe, Fernanda de Araújo Carvalho, moradora em Pacaraima, percebeu um nódulo na barriga do menino. O volume abdominal era grande, duro, mas não doía. Como ele sentia dores estranhas nas pernas e na cabeça, Fernanda levou-o à médica. Erik foi transferido para Boa Vista imediatamente. 

O pediatra Altamiro Vilhena atendeu o menino. Rapidamente, diagnosticou o tumor. Em poucos dias Erik estava no Hospital de Amor, onde a equipe local complementou os exames e iniciou a quimioterapia. “Foram quatro sessões para reduzir o tumor em 70% antes da cirurgia”, lembra Fernanda. Ao todo, o tratamento em São Paulo durou dez meses. Retiraram o rim direito de Erik e o garoto passou a ser considerado livre da doença, embora dependa de exames periódicos pelos próximos próximos sete anos, quando poderá ser dado como definitivamente

 

Caminhada: passos que Salvam

O evento, realizado no último dia 25 em Boa Vista e Rorainópolis, cujo objetivo principal é alertar sobre a necessidade do diagnóstico precoce, este ano também levantou a bandeira de trazer para Roraima unidade do Hospital de Amor, novo nome do Hospital do Câncer de Barretos, centro de referência de tratamento da doença no continente.

A coordenadora Fátima Defante sentencia: “É possível termos a unidade móvel do HA no estado, melhor alternativa para reduzirmos as mortes hoje existentes”. Ela complementa: “As mais de três mil pessoas envolvidas na ação do último fim de semana são a ponta do movimento em busca da garantia da vida de nossos jovens. Dará certo, podem acreditar”.

Sinais e Sintomas do Câncer Infantojuvenil

Muitas crianças e adolescentes com câncer chegam ao centro especializado de tratamento com a doença em estágio avançado por diversos fatores:

  • desinformação dos pais
  • medo do diagnóstico
  • desinformação dos médicos

Algumas vezes o diagnóstico é feito tardiamente porque a apresentação clínica e as características de determinados tipos de tumores podem não diferenciar muito de doenças comuns na infância. Por isso, o conhecimento acerca do câncer é determinante para um diagnóstico seguro e rápido.

Quando o diagnóstico é feito precocemente, as chances de cura são muito maiores. Estima-se que as taxas de cura variam de 0 a 60% em países menos favorecidos, mas que poderiam chegar a 80-90% se diagnosticadas precocemente e tratadas em hospitais especializados, como acontece em alguns centros internacionais. A maioria dessas crianças terá vida normal após o tratamento adequado.

Os primeiros sintomas do câncer infantojuvenil

Existem diferentes sinais pelos quais podem supor que uma criança sofra de algum câncer, portanto fique atento se a criança apresentar:

 •   dores de cabeça pela manhã e vômito;

 •   caroços no pescoço, nas axilas e na virilha, ínguas que não resolvem;

 •   dores nas pernas que não passam e atrapalham as atividades das crianças;

 •   manchas arroxeadas na pele, como hematomas ou pintinhas vermelhas;

 •   aumento de tamanho de barriga;

Saiba mais: visite hcanbarretos.com.br/passos que salvam

 

 

 

 

Lido 570 vezes Última modificação em Segunda, 03 Dezembro 2018 14:00

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Mais recentes de