Segunda, 26 Outubro 2015 16:09

    Sangue roraimense corre nos Andes

    Escrito por
    Avalie este item
    (1 Voto)

    Temperaturas entre 0 e 7 graus centígrados e escalada até o cume de 1.250 metros não intimidaram a analista judiciária do Tribunal Superior do Trabalho, Luciana Pinheiro Sobreira. Das cinco brasileiras que participaram da prova, a candanga conseguiu o primeiro lugar; ficou em terceiro na classificação geral.

     

    Luciana, 31, é especializada em meias maratonas (provas de 21.097,5m). Começou a correr há sete anos. Trabalhando de dia e estudando à noite, sem ter tempo para academias, praticava esse esporte só pra manter saúdes física e mental. “Encontrei equilíbrio psicológico e me apaixonei por essa atividade”, diz.

    A bela advogada já participou de 12 provas: 11 no asfalto e essa em trilha. Concorreu em diversos estados brasileiros e no Chile – a primeira em Santiago, a segunda em Punta Del Este e esta, em orres Del Paine, na Patagônia Chilena.

    Nessa segunda edição da prova, modalidade 25km, 14 mulheres representavam Chile, Argentina, Irlanda e Espanha; cinco defendiam o Brasil. Primeiro e terceiro lugares ficaram com as chilenas Cláudia Borquez e Karin Morales, respectivamente.; o segundo lugar, com a brasiliense Luciana Pinheiro Sobreira.

    ATRAÍDOS PELAS CORRIDAS

    Luciana conheceu o namorado por meio do esporte. Fábio Rodrgio Machado, ultramaratonista, que já participou de diversas provas internacionais. Um de seus melhores desempenhos deu-se em 2014, na Grécia, quando correu 246 quilômetros (entre Atenas e Esparta) e cehgou em 11º lugar – segunda melhor marca já alcançada por um brasileiro nas 33 edições da competição.

    Há dois anos, o bancário sagrou-se campeão na prova 24 Horas de Villanace D’Ordon, em Bordeaux (França), com 221 quilômetros percorridos. Em abril de 2015, o gaúcho saiu-se como o melhor atleta brasileiro no Campeonato Mundial de 24 Horas, na cidade italiana de Turim.

    PLANOS

    Hoje, Luciana treina para concorrer na Golden Four, de Brasília (DF). Afirma: “Depois da prova, começo a pensar o calendário do ano que vem e decido se me dedico a provas de asfalto ou de trilhas”.

     

    Lido 1459 vezes Última modificação em Segunda, 28 Março 2016 09:26
    Redação

    Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
    Mais nesta categoria: Taxista faz estreia no MMA »
    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper

    Please publish modules in offcanvas position.