Quarta, 04 Setembro 2019 19:24

    Juiz Helder Girão Barreto: “Daqui não saio!”

    Escrito por
    Avalie este item
    (1 Voto)
    Juiz Helder Girão Barreto: “Daqui não saio!” Aroldo Pinheiro

    “Forças estranhas” tentam afastar juiz federal de Roraima

    O Brasil tem mudado. Muito. Mas não mudou o suficiente para que a Justiça seja independente e que sentenças sejam acatadas ou contestadas por meios estri­tamente legais. Ainda há quem teime e, utilizando-se de artima­nhas nada republicanas, force a tomada de decisões contra quem, entendem, tenha lhes feito mal.

    Sem mostrar-se preocupado com a pressão que fazem para afastá­-lo para longe de Roraima, o juiz Helder Girão Barreto afirma que está preparado para o que vier. “Se conseguirem ordem para re­mover-me de Roraima, eu entro com meu pedido de aposenta­doria e, com tempo de folga, vou ‘amar mais, viver mais, beber mais, pescar mais’”. E relembra: “Vivi a maior parte de minha vida em Roraima. Gosto daqui, aqui fiz grandes amizades; por que ir-me embora de terra tão querida?”

    Helder vive em Boa Vista há 32 anos, 26 dos quais, como juiz federal. Responsável por julgar alguns dos mais polêmicos casos no Estado, Girão conseguiu, pela rigidez na aplicação de penas, a simpatia de muita gente. Pelo mesmo motivo, conseguiu atrair para si o ódio de quem fez erra­do e sentiu – ou sente - o peso da mão do Baixinho, como o juiz é conhecido e tratado por afetos e desafetos.

    Escândalo dos Gafanhotos

    Entre os casos mais marcantes, com decisões de Girão Barre­to, estão os processos movidos contra políticos e servidores pú­blicos arrolados – e enrolados – no Escândalo dos Gafanhotos. O juiz explica: “No alvorecer deste século, Ministério Público e Polícia Federal desencadea­ram a operação Praga do Egito que, como todo mundo sabe, propunha-se a combater a cor­rupção endêmica no âmbito do Governo do Estado. Eu, que era o único juiz atuando na Justiça Federal em Roraima, tomei de­cisões que incomodaram a ban­didagem, mexeram com aque­les que se achavam acima da lei”, diz.

    Helder Girão também se desta­ca em decisões que tomou em causas envolvendo indígenas. Na sexta-feira, por exemplo, prolatou sentença dando ganho de causa quanto ao direito de expandir-se, em ação imposta pelo Município de Pacaraima.

     

    Sérgio Paulo, chargista do jornal Roraima Agora, bem retrata dois momentos na vida profissional de Helder Girão Barreto

    Lido 898 vezes Última modificação em Quarta, 04 Setembro 2019 20:09
    Aroldo Pinheiro

    Aroldo Pinheiro,  roraimense, comerciante, jornalista formado pela Universidade Federal de Roraima. Três livros publicados: "30 CONTOS DIVERSOS - Causos de nossa gente" (2003), "A MOSCA - Romance de vida e de morte" (2004) e "20 CONTOS INVERSOS E DOIS DEDOS DE PROSA - Causos de nossa gente".

    Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper

    Please publish modules in offcanvas position.