Com elas, o pau come

27 Maio 2018
(0 votos)
K2_ITEM_AUTHOR 
Fotos: Leandro Pinheiro

Beleza é fundamental, mas, se vier com fuleragem, o pau come

Dos anos 1960 para cá, depois que o médico estadunidense Kenneth Cooper comprovou cientificamente que exercícios físicos rendem melhor qualidade de vida e longevidade, homens e mulheres de todo o mundo se tornaram, paulatinamente, adeptos de práticas esportivas. A adesão a simples corridas com duração de 12 minutos evoluiu e deu a largada para a proliferação de academias e centros esportivos, atividades que, hoje, movimentam bilhões de dólares em todo o Planeta.

Mulheres, aos poucos, deixaram de lado o binômio tanque-cozinha para, em busca de forma física ideal e, claro, beleza, lotar academias e se entregarem à malhação, seja por meio de aparelhos, passos aeróbicos, ou qualquer outra modalidade esportiva. O importante é não ficarem paradas.

Boa Vista não ficou fora dessa tendência. Em qualquer um dos bairros da capital roraimense é fácil localizar academias, sejam de ginástica, de dança, de movimentação de pesos, ou de luta.

Ao lado do boxe, as artes marciais têm atraído o chamado sexo frágil (tratamento que elas aboninam) e, hoje, mulheres bonitas ou feias, gordinhas ou saradas se dedicam às mais diversas opções de defesa pessoal.   

Na rua Ataíde Teive, bairro Mecejana, a Carioca Academy é frequentada por cerca de 20 mulheres que, de segunda a sexta-feira, vêm praticar sopapos e chutes para deixar corpos em forma, de acordo com o figurino. Ali, das 19h às 20h, o movimento de belas é intenso.

Quatro momentos na Carioca Academy: (1) Mariana Poerschke, gaúcha, 21 anos, estudante e modelo, frequenta a Carioca Academy há três anos; objetivos: desestressar, manter a forma e defender-se de violência; (2) Roraimense, empresária, 23 anos, Anny Karolynny, com todos os enes e ipsilones, atendendo a convite de amiga, prepara-se para debutar sobre o tatame da Carioca Academy; (3) Enfermeira, Débora Lacerda, piauiense, 29 anos, usa o Muay Thai para queimar calorias, divertir-se e dar um couro em marmanjos que se metam a besta; (4) Estudante, Larissa Gomes, 22 anos, vai à academia em busca de atividade, lazer e, claro, manter o corpitcho em plena forma

 

Aroldo Pinheiro

Aroldo Pinheiro,  roraimense, comerciante, jornalista formado pela Universidade Federal de Roraima. Três livros publicados: "30 CONTOS DIVERSOS - Causos de nossa gente" (2003), "A MOSCA - Romance de vida e de morte" (2004) e "20 CONTOS INVERSOS E DOIS DEDOS DE PROSA - Causos de nossa gente".

E-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Top